ciência

Arqueólogos acreditam ter achado no Egito um dos Templos do Sol perdidos

5views
Fotografia das estrururas de barro e tijolo que o templo dedicado ao Deus Rá era feito (Foto: Fotos publicadas no Facebook Oficial do Ministério do Turismo e Antiguidades)

Fotografia das estrururas de barro e tijolo que o templo dedicado ao Deus Rá era feito (Foto: Fotos publicadas no Facebook Oficial do Ministério do Turismo e Antiguidades)

Em nota publicada no Facebook no último sábado (30), o Ministério do Turismo e Antiguidade do Egito informou que arqueólogos italianos e poloneses encontraram o que pode ser um dos quatros Templos do Sol perdidos. Caso confirmado sua origem, o templo deve ter uma datação  de aproximadamente 4.500 anos atrás. Com isso, ele remonta aos faraós da Quinta Dinastia para o Deus Rá (Sol) do Egito Antigo.

A escavação do suposto templo perdido foi feita sem querer pelo time de arqueólogos que estava em Abu Ghorab, ao norte de Abu Sir, trabalhando no templo dos reis Ni Wasara e Sarra, quando uma pessoa da equipe tropeçou em uma estrutura redonda de tijolos de barro. Ao escavarem mais, os pesquisadores conseguiram visualizar um templo com uma entrada de pedra calcária, pisos de tijolos de barros e enormes blocos de quartzos.

Além da arquitetura do templo, os arqueólogos se depararam com informações importantes. De acordo com a nota oficial, tampas e selos de argila com nomes reais, como o do rei Shabsskara, da Quinta Dinastia, foram encontrados. Os conhecimentos sobre Templos do Sol são escassos, segundo os pesquisadores.

Parte superior de um vaso de cerâmica encontrados no templo do suposto Rei Ra (Foto: Fotos publicadas no Facebook Oficial do Ministério do Turismo e Antiguidades egípcia )

Uma tampa de cerâmica encontrados no templo do suposto Rei Ra (Foto: Fotos publicadas no Facebook Oficial do Ministério do Turismo e Antiguidades egípcia )

O fato da estrutura em homenagem à divindade estar soterrada pelo templo dos reis fez com que a equipe internacional levantasse uma teoria. Para eles, muito provavelmente o templo foi removido pelo rei Ni durante a construção, utilizando a parte nordeste do Templo de para erguer seu próprio templo mortuário.

Tal teoria é endossada por vasos de cerâmica descobertos nas proximidades que provavelmente eram usados ​​para rituais de fundação, nos quais uma pessoa de cargo elevado iniciaria a construção de um novo edifício. Entretanto, os estudiosos ainda não conseguiram encontrar evidências interliguem os reis da Quinta Dinastia com reis Ni e Sarra.

Um dos vasos de cerâmica encontrados dentro do templo do Deus Rá (Foto: Fotos publicadas no Facebook Oficial do Ministério do Turismo e Antiguidades egipcio)

Um dos vasos de cerâmica encontrados dentro do templo do Deus Rá (Foto: Fotos publicadas no Facebook Oficial do Ministério do Turismo e Antiguidades egipcio)

A Quinta Dinastia egípcia ainda é pouco conhecida. Contudo, caso o achado se confirme, é um grande avanço para conseguir novos dados sobre a quinta família sucessora ao trono do antigo império. 

Em nota, Massimiliano Nozolo, chefe da delegação da Academia Polonesa de Ciências em Varsóvia, confirmou que a missão irá completar seu trabalho num futuro próximo para descobrir mais segredos sobre o edifício. Até o momento, os arqueólogos trabalham para achar artefatos que confirmem a origem da estrutura de tijolo.