política

Facebook é ‘gângster digital’, diz Reino Unido

201views

A Comissão de Cultura, Digital, Mídia e Esporte da Câmara dos Comuns, responsável por investigar a disseminação das fake news no país, afirmou que o Facebook violou “intencionalmente e conscientemente” as leis de privacidade de dados britânicas.

Relatório divulgado nesta 2ª feira (18.fev.2019) detalha as conclusões de uma investigação de 18 meses sobre a rede social e outras empresas de mídia e seus papéis na divulgação de notícias falsas.
<![CDATA[

]]> No documento de 108 páginas, os parlamentares pedem a criação de 1 órgão regulador independente que fiscalize os sites de mídia social e crie 1 código de conduta obrigatório.

Empresas como o Facebook não devem se comportar como ‘gângsteres digitais’ no mundo on-line, considerando-se à frente e acima da lei”, diz o relatório.

O Comitê também acusa Mark Zuckerberg, CEO do Facebook, de “desprezar” as leis do país, já que se recusou a testemunhar diante dos legisladores.

O fundador da rede social chegou a depor ao Parlamento Europeu e ao Congresso dos Estados Unidos, mas, quando foi intimado a testemunhar no Reino Unido, ausentou-se e mandou outros representantes da empresa.

Mark Zuckerberg falha continuamente em mostrar liderança e responsabilidade pessoal –que deveriam ser esperadas de alguém que está no topo de uma das maiores empresas do mundo”.

RESPOSTA

Em comunicado, o Facebook afirmou que contribuiu “significativamente” com as investigações, respondendo a mais de 700 perguntas.

A empresa também afirmou estar “aberta a uma regulação construtiva” sobre a desinformação e a privacidade dos usuários.

Continuar lendo

Poder360