ciência

Tábuas de 3,4 mil anos sugerem que a adaga de Tutancâmon não era do Egito

58views
Fotografias da adaga de Tutancâmon no Museu Egípcio do Cairo (Foto: Tomoko Arai at.al)

Fotografias da adaga de Tutancâmon no Museu Egípcio do Cairo (Foto: Tomoko Arai at.al)

Ao estudarem as tábuas das Cartas de Amarna, inscritas há cerca de 3,4 mil anos, pesquisadores acharam evidências de que a adaga do faraó Tutancâmon não era do Egito, mas do reino mesopotâmio de Mitani. A revelação está em um estudo publicado em 11 de fevereiro na revista Meteoritics & Planetary Science.

As tábuas com as escrituras foram redigidas quase um século antes do rei ser enterrado, em 1323 a.C. A equipe de especialistas do Japão e do Egito encontrou no texto uma seção onde uma adaga de ferro é mencionada. Segundo o documento, o objeto estava em uma lista de presentes feitos do metal.

A listagem citava regalias dadas por Tusratta, rei de Mitani, a Amenhotep III — avô de Tutancâmon. Os presentes foram entregues depois que o monarca do reino mesopotâmico casou a princesa Taduhepa com Amenhotep.

Detalhes da adaga encontrada na tumba do rei Tutancâmon, que pode ter se originado fora do Egito (Foto: Tomoko Arai at.al)

Detalhes da adaga encontrada na tumba do rei Tutancâmon, que pode ter se originado fora do Egito (Foto: Tomoko Arai at.al)

A adaga de ferro herdada por Tutancâmon, entre outros artefatos, foi encontrada dentro da tumba do faraó no início do século 20. A data estimada de fabricação do objeto impressiona, pois a Idade do Ferro ainda não havia começado, ou seja, a humanidade ainda não sabia aquecer o metal a temperaturas suficientes para a fundição.

Por isso, os pesquisadores supõem que a lâmina da adaga tenha sido feita com o ferro de um meteorito encontrado nas proximidades. Por mais incrível que pareça, o material que caía do espaço já era utilizado por seres humanos milhares de anos antes da Idade do Ferro.

Lâmina da adaga de Tutancâmon feita com metal de meteorito (Foto: Tomoko Arai at.al)

Lâmina da adaga de Tutancâmon feita com metal de meteorito (Foto: Tomoko Arai at.al)

As evidências de que a adaga vinha de um meteorito surgiram em uma pesquisa feita em 2016. No novo estudo, os cientistas disparam raios-x na lâmina do objeto e o analisaram em um microscópio, descobrindo ferro, manganês e níquel, além de outras matérias-primas como zinco sulfuroso e cloro.

Segundo os autores da pesquisa, a pedra espacial que originou a adaga é um octaedrito, o maior dos meteoritos de ferro conhecidos, também identificado em artefatos como uma espada achada no Japão. Ao que indicam as tábuas das Cartas de Amarna, a rocha pode ter caído no que hoje é a Síria.

Segundo revelou a análise, o cálcio presente no punho de ouro da adaga veio de um tipo de gesso – e as tecnologias de processamento, tanto do ferro quanto do gesso de cal, já existiam nas regiões de Mitanni e Hittite na época.

”O gesso contendo cálcio e sem enxofre usado no punho de ouro pode apoiar a ideia de que a adaga de ferro meteorítico de Tutancâmon foi trazida como um presente de Mitanni, conforme registrado nas cartas de Amarna”, escrevem os estudiosos.